0292. Lia as partes belas

O belo ser que eu via
planava sobre a serrania
e não era pássaro ou avião
era um ser de escamas, plumas e óculos
e luzes natalinas na cauda e no peito
Suas costas arqueadas
para dar mais imponência,
e seus cinco tentáculos
– tentáculos sim, pois braços não tinha –,
lodosos e briluzes,
carregavam uma flauta,
um pandeiro, uma flecha
um livro dourado e um nada
e nas pernas – que eram pernas realmente –
uma musculatura torpe e em frangalhos

aquele ser pairava ao ar
doce, leve, sinfônico
um anjo sem asas, decaído
menestrel puro, numa forma meta-humana
que planava sem planar
e voava flutuando, lépido
deixando atrás de si
um rastro de arco-íris

ao lho ver tão belo e impetuoso
chamei-o Lia.

Deixe uma resposta