0635.

“as árvores são fáceis de achar…”
e eu, algum dia me acho?
através do espelho só as
várias histórias amontoadas espacialmente
minha mente pulula o já ocorrido
– meu eu em flashes existenciais
pelo espaço, a flutuar.

eu intangivelmente árvore
num paradoxo do espelho:
não me acho, não me tenho
e na tênue da antítese:
descobrir-se espelho

Deixe uma resposta