0734. Obviedade VII

No detalhe inscrito do gesto
mora o que não diz a palavra
No olhar acomodado
entre a intenção e o gesto
mora o segredo sentido
No corpo absorto posto
em se pôr ao chão
mora o que ele diz sem saber
No negar com veemência
o que “não” se sentiu
mora o óbvio

Deixe uma resposta