0777.

Essa poesia eu não te escrevo.
É a poesia que sempre existiu
e nunca foi. Um adeus desmedido
antes do encontro definitivo.
É a poesia feita em homenagem
ao teu filho. Uma retórica, um
acaso dos sentidos. Essa poesia
é pra tua maternidade e tua
descoberta, pra sorte do teu
amor e para o teu amor infinito.
É o segredo que nunca há de ser,
posto que nem a mim foi feito.
Essa poesia é meu afago não ocorrido
e a mitigação de um arrependimento
que é só um devir. Essa poesia é
só um carinho.

Laguna, SC.

Deixe uma resposta