0867. Passagens

“de vergonha eu não morri
to firmão, eis me aqui
você não, você não passa
quando o Mar Vermelho abrir…”

histórias sobrepostas
rurais reminiscências
numa urbanidade falida
dramas de vidas
passados mal-vividos
origens desconhecidas

venda da re-ligação
comércio do ostentar
desejo da volúpia numa blusa
manequim de bunda enorme
riso à cantada
músicas superpostas

eu flutuo em meio ao caos
sou mais um seu fruto
em meu peito só ele
arranjado por essas imagens que
contribuo por produzir
fala onde este mora tudo isso que senti

só uma feira

Deixe uma resposta