0877. Prefiro

prefiro a dor e o vazio das horas
prefiro dizer mentiras e coisas grotescas
prefiro calar meu peito e tomar uma dose
prefiro os atos desmedidos
prefiro esse momento perdido
prefiro o frio da cama sozinho
prefiro o amargo da cevada e o amor à solidão
prefiro esse breu e bethânia
prefiro o filme repetido às duas da madrugada
prefiro a noite sem sono e o dia fatigado
prefiro tudo isso,
mas não perco a poesia novamente
(prefiro até mesmo você outra vez)

Deixe uma resposta