0879. Culpa?

Num toque esvai-se todo o sentido.
O júbilo da posse diz que o feito
foi completamente antiético,
meus braços não compreendem essa máxima,
meus lábios têm sede de completude.

Você disse que não suporta
a minha condição livre.
Eu não disse nada disso.

Queria teu sono ao meu lado
mas confesso que agora queria outro abraço.
Quero aquela que me diz:
– descompromisso –
e me beija a boca suavemente.
Quero a outra que me acaricia e diz:
– Hoje não… –
e ri de tudo e todos.
Quero o que meus braços e lábios permitem
e se você não consegue entender isso, paciência…
Meu ser sempre foi este que,
por acaso, você se apaixonou.

Deixe uma resposta