0912. Búdicas III

Palavras correm esse instante como se fossem trazer algo mais que elas mesmas.
O gelo que percorre o sangue e incorre em palavras como essas é mero refresco,
sorvido em uma taça medíocre e idiota dentro de um órgão chamado cérebro.
As oscilações de humor cansam como se fosse um árduo obstáculo a se vencer
e ao invés, são só meros paradigmas auto criados e inventados, meras questões
trazidas à luz do mundo para serem elas mesmas motivos de seus próprios seres.
Não quero dizer nada, mas infelizmente digo.
Não quero sentir nada, mas por acaso, existo.
A máxima da ilusão (ou da felicidade): acordar e descobrir que nunca existiu.

Deixe uma resposta