1005. Mel

Se fosse doce como seu nome
te chamaria sempre
para ter na boca seu gosto.
Mas se paradoxal fosse
e azeda se fizesse
nada me importaria em
trocar os sentidos da língua
e chamar de alcaçuz o que
acre fosse.
E sentir doce
o salgado que surgisse.
E chamar de açúcar
o amaro de seu ser.

Deixe uma resposta