1055. Poderia até ter sido, se fosse mesmo.

A lata encontrava-se bem
segura pelas duas mãos.
A cerveja sempre escorria
um pouco pelo queixo
e sempre havia aquele
resquício em cima dos lábios.
Os olhos dançavam graciosos
sobre tudo.
Tão vivos quanto qualquer
coisa viva.
As frases verborrágicas
como se fossem koans
para um nirvana amoroso.
A despretenciosa fuga de
sempre com os dedos
trovejando afagos no coco
da minha cabeça,
A firmeza das botas
ao deslizar os passos certeiros
para me deixar ao léu.
E eu, ouvido vivo, ao constatar
que um anjo nunca é um perigo.

São Salvador, TO.

Deixe uma resposta