1315. Racional

Era um choro.
E o meu,
choro docente,
era um enigma,
alaúde vibrando
notas descabidas.

Meu choro
era o outro.
Um amiguinho,
um irmão
com três latas de refrigerante
e o coração apertado
do humilhar-se.

Bendisse minha mãe,
meu pai e
chorei copiosamente
a cada mordida
do pão de queijo
que não me saciava a fome.

Quarenta centavos,
era tudo que eu podia
oferecer.
Quarenta centavos,
o preço alto do
meu ser.

Chorei com o irmãozinho
que dividia o vazio
e a dúvida da responsabilidade
da divina providência.

Chorei
minha
humanidade.

Deixe uma resposta