1332.

Eu a via
só pelo reflexo
da janela
do ônibus

O que havia
no meu olhar
eu não saberia
dizer se fosse
ela

Quem sabe ela
entendesse que
o meu desejo
não era o de
entrar e ficar
por lá no aconchego
mas sim o de
fazer com que
qualquer extensão
minha e eu
mesmo pudesse
ser o deleite
que escorreria
de seu rosto,
suor e gemido

E pra isso nem
me importaria
minha impotência

Deixe uma resposta