1593.

Tem hora que me
acomete uma saudade
grande daquela dor
Era dor de gente
doída, era dor que
doía mesmo,
que valia a pena
Dor que a gente
abraça e diz,
“nossa! essa dói…”
Tinha gosto de
bem-feito
sabor de devia
ser pior…
Fui trocar aquela
dor por uma paz
medíocre e por
essas dorezinhas
que nem mexem
a espinha
Que saudade daquela
dor que doía!

Deixe uma resposta