1917.

Uma trama há muito posta
para encobrir a paisagem do hélio
Para tapar as vítimas de Adão e Eva
Para esconder o mundo
por uma fina película
Para a tara reprimida de saber
que é só essa coisa íntima
a colocar pudor
Um emaranhado mínimo,
figura representativa de um super-ego
em panos
Uma trama há muito posta
para se pensar que apenas o sol é o vilão
incomensurável ao sono
Mas lá neste, nas entrelinhas das imagens
eis que surge uma outra cortina
para nos assegurar a fuga
de um mundo de instintos

Piraju, SP.

Deixe uma resposta