1936. Temores reais

Não tenho receio dos
senhores trancados em
salas fechadas de coberturas
de arranha-céus que
tramam o futuro da humanidade

Não tenho medo dos engravatados
reunidos nas bolas tortas
do falo nacional ou dos
burocratas dos dominós
que hão de cair um dia
um após o outro

Não tenho medo nem dos
homens de preto empunhando
seus falos prontos a me
atacar pelo meu fumo

Mas do bicho-papão…
Esse me causa os maiores pesadelos.

Deixe uma resposta