1949. Bonita você

Mais do que
pode ser
Pois o nada
além e o
nada aquém
Deixam você
assim tão
beleza zen
Mais à
cabeça ainda
vem: beleza
tao, tal
qual o
caminho do
meio, entre
aquilo do cair
e isso do existir
e o disto de subir
Beleza amena,
boa para à
folha, uma
caneta bic
nova
Beleza que,
como boa,
soa bem a
estudos de
estética e
para a poesia
toda a métrica
e para a melodia
a nota certa
Coisa assim
que sim existe
tua beleza
arrumadinha,
não televisiva
e fictícia,
uma beleza,
assim,
bonita

Deixe uma resposta