2075. Pelas águas fez-se essa terra

Antes de naus, lemes e velas
desde já, avistavam-se canoas
deslizando sob veias de água
cada braço teso ao remo um pulsar

Degredados e em parca esperança
vinham com e sem intenções boas
deslizavam no mar suas faluas
para nesse mundo litoral aportar

Junto às galés, tambores rufavam
tantos mais chegavam com loas
acorrentados, saudosos em mágoa
cada fio de sangue à terra juntar

Para esse corpo-porto de terra tanta
cá vieram todos entre popa e proa
por esse Atlântico rio que cá deságua,
e ainda que em terra, sempre a navegar

Deixe uma resposta