2304.

No interior, o tempo existe
Pinga como as gotas que
caem de uma torneira mal fechada
Cada segundo te percorre
qual mergulho lento em água de açude
Até nas frestas de folhas
que espalham a luz no chão,
vê-se o tempo pairar e se amansar nas têmporas
No interior o tempo te toca os poros
Não é a impressão de um sentido
Para além de se sentir, ele existe

Itaueira, PI

Deixe uma resposta