2344. Cacto

sem lampião de querosene que suficiente
insufle luz para o suspiro
de contemplar essa armação
verde-viva feita assim parecida
com uma alma ramificada aos céus
erguendo os infinitos braços para
o alcance do firmamento despedaçado
em gotículas de poeira

pousa-se ele imponente
retumbante ante o imponderável
de ser pouso de água boa
entre alinhados de espinhos
essas garras de proteção que se agrupam
para dar aos que tentam
a dor de saber imprescindível
o saciar de uma sede latente

Paes Landim, PI.

Deixe uma resposta