2451. Dezembros

dias loucos e insuficientes
para se aprender o faltante
e arremessar o vindouro

dias de chuvas e de sóis
desse calor tão frio das manhãs
de pavor e esperança

dias verdes e noites azuis
esperas infinitas e carinhos
ansiosos e distantes

seres perambulando pelo
aconchego da piedade
e margeando alguma frustração

vontade de virar as páginas
de começar novos livros
pulando até o último parágrafo

dezembros podem enlouquecer
mas sempre levam o mundo
a chorar pelo novo

Deixe uma resposta