2552.

desestruturar as
bases de uma neurose,
encontrar o alicerce
que sustenta essa
casa escondida
por detrás de algum
amontoado de notas
imemoriais, escondidas
por detrás da linguagem,
banidas do palpável
e entranhadas no
mundo onde escorrem
os desejos, as pulsões
e as vontades
explodir essa edificação
e construir sólido
palacete de apatia
e intolerância ao
mundo: a morada
de deuses não humanos

Deixe uma resposta