2682. Nascente (Fragmentos de Lorca travestidos)

A luz acordou na urbe.
As nascentes gritam.

Por trás do umbral do verão
minha razão dançava.
Quisera sentir as nascentes,
a vontade da água
há tempos morta, o grito aturdido
a nenhum dos tatos
da mente, amaro eco rouco
dentro dos cógitos…?

Deixe uma resposta