2868. África

lá começou a diáspora humana
dias ásperos de se comer carniça
noites derradeiras de se domar o fogo
tardes ternas de se inventar linguagens
manhãs divinas de se dominar
duas patas, polegares e massa encefálica
madrugadas quentes de se criar o
amor frente a frente
olhos nos olhos
essa coisa sendo amorificada

algum cerrado africano

por isso que essa África,
que frita-me a mente,
fica-me comunhão com o mundo ânima sapiens sapiens

Deixe uma resposta