2977. “É tipo uma pira, sabe?”

É preciso que a palavra
ganhe contornos na língua
e se lance pelo espaço
reverberada a bater tímpanos
senão uma densa camada de poeira
enterra sua boca,
senão cada ideia vira tato, tecla
e a dimensão do diálogo
acaba num sítio outro,
três linhas do resumo e
contando notícias entre parêntesis,
senão a misantropia
se associa à procrastinação
e o vago de falar,
vaga desconhecido,
na contemplação de paredes.

4 comentários em “2977. “É tipo uma pira, sabe?”

Deixe uma resposta