3176. luta de olhares e de classes

o ar de empáfia
a louridez, a branquidão
o corte preciso do tecido
e o reluzente dourado
maior que o braço

a minha timidez cabocla
de não olhar nos olhos
e de não saber onde por as mãos
aquele acompanhamento eterno
periférico
de sempre se sentir suspeito
mesmo da hipótese
sequer aventada no
filme instado sempre na cabeça

de longe é uma despreocupação eterna
de cá a tensão sempre anima
o momento mais ideia na fogueira do beco

o olhar desde lá
arrebatador
compulsivo
entre o que me faz
vem rasgando voraz
um olho em mim
outro no aplicativo

quando desafio minha matutês revigorada
de quebrada
recrudescida por meu “devido lugar”
e meu olhar acompanha o de lá de longe
eis que enfim se esbarram e esparram
antropológicas e antropofágicas,
medo e mágica,
as mil classes médias várias

Anúncios
3176. luta de olhares e de classes

Diga

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s