3670. domínio do fato

eu não autorizei nada em meu nome
você que amou os rastros
despejou querer por aí esparramado
dando atenção em troca de lealdade apaixonada

eu não disse forma cor textura
nem percebi que coisa assim havia
sequer ponderei que era disso que o mundo precisava

subentendido você executou os amores
bem colorido
e caiu em desgraçada sucumbido
flagrado com êxtases nas cuecas
levando junto uma tropa de apaixonados
todos destruídos

e eu não autorizei nada em meu nome

mas seguiram as evidências por você deixadas
e deram comigo sendo

minha pena

:

vinte e cinco anos de coração esvaziado
e mais três

em regime semiaberto

 
eu não era réu primário.

Deixe uma resposta