3888. Aldebarã

do nascente e do céu
donde sou vou e irei

quem segue
aquele que segue
o olho do touro
o aleph a própria volta

segue as plêiades
as primeiras do horizonte

o perseguidor
o mago
o brilho laranja resquício do sol na noite escura

do nascente e do céu
donde sou vou e irei

                  papa igbo que veio do oriente
                  acende a candeia no céu
                  donde sou vou e irei

Anúncios
3888. Aldebarã

2 comentários sobre “3888. Aldebarã

  1. O problema é que não gosto de “curtir”. Chegar e clicar e pronto. Me dá enjoo. Então, não curto. Comento. Quando gosto, comento. E esta daí, cumpádi!, muito, mas muito…com umas pegadas que faz tempo ei não via: as aliterações, as ressonâncias que dão prazer em declamar. “Papa Igbo” é um achado! Abraço.

    Curtir

  2. Obrigado, cara, os seus comentários são sempre foda e me instigam. Essa veio duma vez, nem consegui ponderar direito, acho que tava lendo muito sobre a estrela.

    Curtir

Diga

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s