pausa serena

Existe uma aflição no peito que se dá de quando em quando e que ainda não sei como ela se forma, de onde vem e porque vem. Tampouco sei o que fazer com ela. É um exaspero, uma vontade de, um sopro que faz tornado e furacão por dentro. Ela veio vindo ainda agora. Tomei um chá de camomila com capim santo, inspirei e expirei, várias vezes, pausadamente. Não passou. O computador agressivo. A internet matadora. Um sol estranho lá fora. Um ambiente opressor cá dentro. Quando essa aflição já trazia angústia, ansiedade e um medo insone de continuar trotando nesse mundo cabuloso, a serenidade me chegou assim, de repente, em Ascensão:

Salve sexta-feira.