3748. produtora de mundos

i

não aquieta
mesmo quieta
fluxo infindo
que afoga e carrega
                 fragmentos
                 inteirezas

                 inunda

vai corroendo pedras
esculpindo formas

 
ainda que se desvele
– das formas
uma verdade elétrica
vinda além do céu

 
 
ii

enquanto a revelação não vem
ela revolta
molda terrenos
de dentro pra fora

 
 
iii

a liberdade é um relevo
                 acidentado
                 dentro de sua paisagem