0016. Espera

Nunca provei o amor
Vivenciar o fulgor
de uma paixão avassaladora
Os ímpetos ocorrem aos montes
Sinto-os como desejo, atração ou gosto
Escuto com ouvidos de inveja
As descrição de outras vidas
Embora não acredite muito
No que percebe meus sentidos
Mas mesmo assim, sigo
Espero, quero e estou aberto
Até o momento, para mim,
o amor inexiste
Hoje, tenho fé e sei que um dia
posso viver meu Canaã dos sentimentos

Deixe uma resposta