0228. Ritmo natura-normal

Cria ser tácito
Sentia um soneto encoberto
Sobre o véu negro do medo
Bendizia o oculto
A poético do segredo
E deixava o amor crescer em mistério

O silêncio foi seguindo
O amor se tatuando
Minha alma desesperadamente
Abria-se ao inefável
E forjava alvoradas de paixão

Oh tolo
É sempre assim:
A indiferença toma frente
E eu sempre verto poesias
Em aflição

Deixe uma resposta