0278. Êxtase

O amargo da língua no ouvido
O beijo salgado do pescoço a suar
O paradoxo da suavidade agressiva
O calor e a língua gélida nos seios
O cheiro do corpo outro na lascívia

A perna, a boa, a barriga, a mão
A volúpia do desejo mais intenso
A perene sensação do prazer ilimitado
A audição forte do peito próximo
A contemplação de que ela dorme leve

Um prazer
Uma noite
Dois corpos respiram na penumbra de lençóis
Dois corpos ainda um

Deixe uma resposta