0308. Plenitude

o que preciso é deste mar castanho
que contrasta com meu negro
o que desejo é percorrer com a boca
toda a extensão desta derme,
que macia qual algodão
que alva qual nuvem
se eleva em minha cor cinza
o que almejo é penetrar-lhe os sentidos
e emanar todo o prazer
me envolver em teu olfato,
ser um vento te acariciando
iluminar tua retina
qual teus olhos ser mel em tua boca
e sinfonia flutuando em ti
meu espírito arde em contato
com essa brasa que queima em teu portal
preciso mergulhar em teu ser
e aprender a nadar
e velejar teus limites
e desbravar tua ventura
o que quero é saber-te o ápice
é alcançar-te às nuvens
é envolver-te em azul
realçar-te o infinito com minhas mãos
afagar-te com meu suspiro
e estremecer-te com minha força
o que quero é te deixar plena
de todo o meu amor

Deixe uma resposta