0432.

saio da tua vida pela porta dos fundos
fugitivo de tua presença dentro dos meus poros
dou-te adeus sem o profundo dos olhos
e me arrepia o que virá sem tê-la em minhas mãos
debuto no avesso da eternidade e me
imerso em pontos finais

Deixe uma resposta