0999. Flerte

aí mora o meu desejo
quero os lábios das palavras
que puderem me alcançar
e me envolver numa metáfora
qualquer jogada ao léu

de versos dedicados a outrem
vou tirar traduções para mim
e responde-los loucamente
sem sentido e duplo-sentido

vou piscar meu olho com
uma comparação e sorrir
um riso de canto da boca
mordendo os meus lábios de vagar
quando escrever meus anseios
para qualquer um

me jogo ao flerte sem limite algum
e almejo o que me couber
nesse exato momento
descumpro promessas tolas
e sigo desvairado buscando nelas
algo mais que um flerte

o que eu quero mora em cada
segundo que vivo
e vivo…

Deixe uma resposta