1308.

O que caberia para além
de uma linha?
Os marcos de uma suavidade
que incorresse no
achado da alma?
Uma teoria para a
sutileza do vazio?
A acomodação de um quê
cheio de graça?

Não. Para além de
uma linha fica o
sentir de não saber,
fica o que cabe não
escrito.

Escrever é delimitar o
que não cabe nas
palavras.

Deixe uma resposta