1569. Não pertencimento

Nem esse corpo é meu,
Minha mente
Nem mesmo a alma
(essa eu perdi numa mesa de sinuca)
Nada
As unhas sujas de terra
O copo de pinga pela metade
A dor do amor que não se apodera
A carne de bode frita num domingo

A não propriedade
O não dono

Ter, esse verbo vago a mim

Não tenho, talvez por isso, eu seja.

Deixe uma resposta