1717. Prometo

Tá bom, aí então eu faço uma poesia cheia
De esmero, falando até sobre Édipo Rei
Tudo bem, eu falo, é um pena que eu não sei
Aí eu floreio também com um pouco
De processo histórico e lutas de classes
Aí fica assim, redondinha a poesia
Cabe até numa antologia
Porque eu também vou colocar uma metáfora
Para a condição humana, como os mamutes da
América do Norte
Coisa grandiosa mesmo
Projeto para depois da vida
Imagem maior que a vida
Traduzível em todas as línguas
Transponível a todos sos corações do mundo
Poesia de verdade, né?

Deixe uma resposta