1819. Sempre tem céu

Talvez uma das únicas coisas que sempre existem
seja a amplidão rasgada
até mesmo nesta as partículas que insistem
em a compor
– estas sempre invisíveis –
vibram qualquer coisa,
uma nota perdida
um acorde
na cor dela mesma.

Deixe uma resposta