1896. Profissionais da memória

Eu, como um deles,
Quero preservar o nome flor
para que ao amanhã
se faça, sempre, pelo menos
na palavra, essa que não
se usa mais como a
prova da estética,
como o ethos da imagem
da beleza, mas sim
como o adorno de forma e cor.

Deixe uma resposta