1900.

Adélia, Adélia…
Te vejo agora Adélia,
e da outra vez você me
trouxe cá consigo.
Pois que não era eu quem te
carregava, mas você
que me conduzia com
teu texto.

Se o tivesse agora,
o leite tinha derramado
todo pelo fogão,
pois que todo o sentido
era teu e não o
possuiria ao ponto
de notar outras sutilezas.

Adélia, Adélia,
se os tivesse nessa luz,
daria a ti todos os
gerânios das mais variadas
cores e os poria,
em cima da mesa,
junto a uma goiabada
com queijo.

2 comentários em “1900.

  1. ai, que lindo, criatura. bom te achar nesse internet vasta, eu que também estou encantada por adélia e doida pra me livrar do caos. de todos os caos.

Deixe uma resposta