2620. De cidades depois do imaginário

cidades com cara de cidades
mesmo que nunca se soube
ao certo a sua existência
mesmo que se pensasse apenas
devaneio a materialidade do estado

cidades com cara de cidades
com pessoas andando nas ruas
pelo meio da noite e alto da tarde
e tornando a sua cidade
mera tentativa de cidade
ou cidade torta cidade

cidades com mar na frente
e morro atrás e ar de água
e vento de mar e areia de praia
e ilhas juntadas e asfaltadas

cidades que tem passado e criação
sem pena de projeto arquitetado
erguido em concreto, vidro e aço
cidades que surgiram de naus e velas
e extermínios de algo que hoje
só se tem com isolados

cidades que se explicam pelo andar
e que onde se vislumbra nomes nas ruas
são cidades que a um vindo
de uma meta-cidade
fazem pensar o que é mesmo uma cidade
e até dão esse ímpeto de morar
em uma
pela primeira vez de verdade

Vitória/ES

Deixe uma resposta