2665. Saudosa Brazólia, Brazólia querida…

imagina a tensão:
no meio do cerrado ainda armado
ônibus lotados
trazendo os pioneiros
da decapitação da mata
sonhos, expectativas,
saudades e
braços e troncos e pernas
e cabeças e mãos
e suores já gastos
postos a serem ainda mais gastos

imagina a loucura:
da mistura cafusa, mameluca
de esperanças mantidas
com pão parco
herdeiro da substituição do
trabalho escravo

imagina o caos:
tratores, caminhões,
poeira

imagina isso em junho

imagina sem lago

imagina o vento frio na seca
e na imensidão do céu preenchendo as existências

imagina a terra sendo rasgada

imagina isso doido que foi
travestindo-se disso hoje concreto

e ainda queriam que quem fez isso hoje concreto
com o suor gasto de seu trabalho
abençoado por esse céu de louco
voltasse ao final para o início de sua lida,
esses outros tantos rincões disso tudo
que forma o contínuo desses brasis

com o suor e as mãos firmes ficaram
e ergueram como nos outros brasis
mil brasis possíveis às margens da
ilha de concreto erguida ao redor do cerrado

2 comentários em “2665. Saudosa Brazólia, Brazólia querida…

  1. Acho que só nós daqui conseguimos captar isso realmente. Os de fora tem imagens tão longe do que passa na gente quando olha isso tudo aqui…

Deixe uma resposta