3054. Dança na densidade

Como um enredo pra Rodrigo Campos,
duma distância vizinha,
a vista alumbra e não é lombra:
visível dança lenta,
longa pausa da mente
e o deslize num samba cadenciado
encadeado,
meus pés, seus pés, nossos passos.

Entre a hipótese crítica
e a hipocrisia na crista da onda cristã
nossa dança, preta e branca,
contas num colar pra lá e pra cá:
minha flecha e seu espelho,
nossa guia.

Explode o sol, as ondas fervem
despencam cifras, as trilhas caem
a terra treme, o mar avermelha
pardo.
Tudo arde, mas no caos acaso da cidade, eu e você,
dançamos na densidade.

Anúncios
3054. Dança na densidade

2 comentários sobre “3054. Dança na densidade

Diga

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s