3054. Caminho de mesa

duas árvores da vida perfilando os nós
macramê intrincado
e tu dizias que sabias da trama cada rumo
cada ponto, todo o labirinto

teci, fio a fio, o que pude
réplica passo a passo da revista
mas tu, onisciência plena,
refutava minha tecitura com borboletas azuis
ipês floridos e cachoeiras impávidas

tudo bem, eu não competia
nunca decaí em inveja ou tentação
essa miudeza tão boba
todo adorno da adoração deixo a ti
só quis ocupar o vago das mãos
não costurar o tudo dentro da minha presença

Deixe uma resposta