3171. Das artes da calmaria

ninguém mais tem
paciência para o que
acalma e apazígua coletivo,
alguém não

tudo o que toca
se desfaz ao toque
ou contato com qualquer
corrói-se antes mesmo

o que adentra e apascenta
pasta a paz pelo todo
passa longe hoje, agora
pois que se deve pulsar

parte pois não se pode
partilhar nem a
perto nem alhures
ajeita-se só em si

o que acalma contém-se
no contido do mais eu
não se abre para além
se governa dentro, vibra

irreflete, verbo
inexistente é o que tenta
quando a paz é com
parte ilhada em par

Anúncios
3171. Das artes da calmaria

Diga

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s