3435. Soneto

Como a mente se arremessa contra o mundo,
Achega-se tudo que o conforma dentro dela;
Todas, mente e mundo, ocupando-se simultâneas,
Fluxo inspirado que movimenta a vida.

Ele que meandra existências em busca de sua escuridão,
Vem à tona, ocaso, só quando a luz se percebe
Incapaz de lograr maior jornada que
O caminho percorrido até as margens do agora.

A mente ergue seus braços, desejosa da realidade,
E quebra todas tentativas de se ocultar;
Arrebentando o mundo em certezas e verdades,

Mas, o que se acerca e precede toda mente
Despedaça-a em mil fragmentos, pensantes ainda,
Dominantes, construtivos, cruéis e demandantes.

Deixe uma resposta