3539. passagem de Xangô

concreto me desfaço em mínimos escombros
as eras se reconduzem embaralhadas
sou tudo o que pesa pelo frágil do corpo –
sou rocha –
desde sempre
magma tecido, os nós de minha pele
estrelas mortas meus pensamentos
um enredo passado
acertado hoje
estalo nos céus do universo, feito em fogo
aqui se faz, eu sou a paga

dois gumes minha cabeça

Deixe uma resposta