3733.

Abaixo do manto noturno
uma legião de insones
a trafegar de lá para cá
sem sair de suas cadeiras
sem sair de suas camas

Enquanto isso
correntes queimam
os sonhos de quem pouco
ainda dorme

O clã das olheiras
Na cidadania global da insônia

 
Só durmo, porque desisti
E a fissura dormente dos insones
queima meus sonhos

 
O wi-fi nunca desliga

Deixe uma resposta