2940. Pira pora ar

sabe, eu não compreendo esse meu realismo
e penso
onde se escondeu a fé que a liquidez liquidou?

sabe, às vezes quando creio
eu sinto mesmo sobrevoar a chapada
no meio da água condensada
percorro as longas gerais em cima do horizonte
sem ser ara
fico voando feito ave de escamas
sem penas
sem planos altiplanos

sendo sim pira
pirado peixe fora d’água
sendo pora
habitado de vôo, dentro do ar
sendo pirapora vossa
sem hora desaparecida
tucunaré das nuvens
pacu alado
dourado ícaro lançado ao léu
papa-terra do meio do firmamento
piracará mais leve que pluma

curimatã que não volta
mergulhado na chuva
pairado
e sendo pira
ser pora
peixe pirado
dentro de um ybapiranga
de fim de tarde

Deixe uma resposta